Condenado homem por tentativa de duplo feminicídio contra mãe e filha em Itaberaí
20/03/2018


Rodrigo Pereira Soares foi condenado a 19 anos e 9 meses de reclusão, em júri popular realizado nesta segunda-feira (19), em Itaberaí. Ele foi considerado culpado pelo crime de duplo feminicídio na foma tentada em continuidade delitiva contra Adriene dos Santos Resende e sua filha, que na época tinha 14 anos. A sessão de julgamento foi presidida pelo juiz Gustavo Braga Carvalho e durou mais de 10 horas.

Segundo a denúncia, em março de 2016, Rodrigo brigou com a mulher e a atingiu com 17 golpes de faca. Ele ainda perseguiu a filha da vítima com a faca porque ela chegou na hora em que ocorria o crime. O Conselho de Sentença reconheceu a autoria e materialidade do crime contra Adriene e sua filha. Reconheceu também a forma tentada do delito contra Adriene. No entanto, rejeitou a tese da absolvição e da forma privilegiada do homicídio, reconhecendo as classificadoras do motivo fútil, recurso que dificultou ou impossibilitou a defesa da vítima.

O réu
Rodrigo foi ouvido em juízo e disse que está arrependido do que aconteceu. E também afirmou que não se lembra direito de tudo o que aconteceu, mas que ele e Adriene beberam o dia todo. “Quando eu peguei a faca, ela puxou da minha mão e cortou os meus dedos. Consegui pegar a faca de novo, tive um surto e comecei a atingi-la. Estávamos muito bêbados”, destacou. Ele afirmou que deu os golpes de faca, porém não se lembra quantos golpes deu um Adriene.


Crime
O crime aconteceu no dia 6 de março de 2016, no Residencial Vitória, situado na região sul da comarca . Consta dos autos que o acusado e a vítima viveram em união estável por dois anos e costumavam ter discussões. Na data do fato, os dos brigaram por motivo fútil, quando o réu se descontrolou, pegou uma faca e golpeou várias vezes a companheira no abdômen, pescoço e costas.

Logo após o ataque, Rodrigo fugiu do local, mas a Polícia Militar conseguiu localizá-lo na estrada a caminho para Sanclerlândia, onde foi preso em flagrante. Segundo a denúncia, o homicídio não ocorreu por circunstâncias alheias a vontade do acusado: o réu abandonou Adriene ferida, que foi socorrida por vizinhos que haviam escutado a briga do casal. A mulher foi atendida pelo serviço móvel de emergência da cidade e encaminhada em estado grave a Goiânia. 


(Fonte: Centro de Comunicação Social do TJGO)