Governador bate-boca com vereador na Cidade de Goiás
José Cácio Júnior
da Editoria de Política & Justiça

O que era para ser um evento da campanha de Vanderlan Cardoso (PR) ao governo do Estado virou um bate-boca entre governistas e um vereador na Cidade de Goiás, no último sábado. A carreata, ocorrida na antiga Vila Boa, foi deixada de lado pelo governador Alcides Rodrigues (PP) e pelo presidente regional do PP, Sérgio Caiado, que foram discutir com o vereador Reginaldo Ferreira Adorno (DEM), conhecido na cidade pelo apelido de Jacaré.
Tudo começou quando os participantes da carreata visualizaram uma faixa com os seguintes dizeres: “O povo de Goiás não vota em traíra.” A faixa, colocada em vários pontos da cidade por Jacaré, irritou Alcides, que, segundo o vereador, chamou o candidato ao governo Marconi Perillo (PSDB) de “ladrão”. “O pessoal que estava em cima do carro parecia onça, de tão bravo que ficou. O governador chegou a chamar o Marconi de ladrão”, completa Jacaré.
O DM entrou em contato com a assessoria de imprensa de Alcides, que não retornou os telefonemas. O jornal oferece espaço para que o governador apresente sua versão sobre os fatos.
Ele explica que decidiu colocar as faixas na cidade para mostrar seu descontentamento com Alcides, que rompeu com Marconi e hoje tenta eleger Vanderlan para o Palácio das Esmeraldas. “Quem colocou Alcides no governo foi o Marconi. O governador não poderia ter traído Marconi.”
Jacaré disse que ficou surpreso com a reação de Alcides e Sérgio Caiado, mas que respeita a opinião deles. “Cada um tem o direito de se manifestar, mas o que posso fazer, se a carapuça serviu para alguns?”, indaga o vereador, criticando a postura de Alcides e Sérgio Caiado.
O vereador José Augusto (PSDB), conhecido na cidade como Capilé, explica que Sérgio Caiado interveio e passou a discutir com Jacaré, que começaria a discussão com Alcides. “O Sérgio falou que ia bater no Jacaré, que não ficou calado. Ele falava para o Sérgio: desce da caminhonete, desce da caminhonete.”

Aprovação
Jacaré conta que recebeu apoio de vários moradores por ter espalhado a faixa pela cidade de Goiás. “O povo adorou o acontecimento. A população de Goiás é muito grata a Marconi.” Jacaré credita a popularidade de Marconi na antiga Vila Boa às obras realizadas pelo tucano quando era governador.
Entre as obras realizadas por Marconi, ele cita a construção de uma Estação de Tratamento de Esgoto (ETE), a construção de unidade da Universidade Estadual (UEG), ampliação do Teatro São Joaquim, pavimentação do Setor Rio Vermelho, e a construção de uma creche no Setor Bacalhau para 200 crianças. “Todas essas obras contaram com verba disponibilizada por Marconi quando ainda era governador”, completa Jacaré.
Outra melhoria realizada por Marconi na cidade, continua o vereador, foi a reforma do prédio da Real Fazenda. O prédio da Real Fazenda era o lugar onde se guardava o dinheiro do Tesouro do Estado quando a antiga Vila Boa era capital de Goiás. Jacaré também credita a Marconi a reforma ocorrida em Goiás após a enchente que devastou a cidade em dezembro de 2001.
Declarada como Patrimônio da Humanidade em novembro de 2001 pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (Unesco), Goiás foi atingida por uma enchente no dia 31 de dezembro daquele ano, que devastou parte dos monumentos e construções históricas da cidade.

JUDAS
O deputado federal Carlos Alberto Leréia disse que não está surpreso com as críticas do vereador Reginaldo Jacaré (DEM) ao governador Alcides Rodrigues. “Se o povo faz as críticas ao governador é porque ele é merecedor disso. Alcides é o Judas de Goiás. Traiu o povo e os políticos que o ajudaram a se eleger”, completa o deputado.
Natural de Minaçu, que fica na região Norte do Estado, Leréia ainda mandou um recado ao governador. “Na minha cidade Alcides seria recebido a ovos e pedradas”, sublinha o tucano. Leréia foi um dos políticos que mais se dedicaram à campanha de Alcides ao governo em 2006.

Fonte: www.dm.com.br