Jogador Itaberino, VINI, joga pelo bicampeonato da superliga de vôlei com o SESI (SP)
23/04/2011  10:17

A decisão da Superliga Masculina de Vôlei envolve um Itaberino, o sargento Vinícius Mendes de Siqueira, o Vini, luta pelo bicampeonato da competição. O jogador de 28 anos entra em quadra amanhã para ajudar o Sesi (SP) a lutar pelo título contra o Cruzeiro, a partir das 10 horas, no Ginásio do Mineirinho, em Belo Horizonte.


A equipe paulista, que tem a melhor campanha da fase de classificação da Superliga, conta ainda com os pontas Pablo, que nasceu em Porangatu, e Enoch, de Anápolis. Eles estão desde quarta-feia em Belo Horizonte.

“Pode até parecer um discurso ensaiado, mas não é. Numa decisão de título, é preciso tomar cuidado com todos os detalhes. Temos de minimizar os erros para ter chance de vitória”, disse Vini, que nasceu em Goiânia, mas passou parte da infância e adolescência  aqui em Itaberaí.


Ele tem experiência para falar de decisão. Na temporada 2005/2006, o meia-de-rede ajudou a Cimed (SC) a conquistar o título da Superliga jogando contra o Telemig/Minas, com o Mineirinho lotado, a exemplo do que ocorrerá amanhã – todos os ingressos já foram vendidos para a final. No ano seguinte, novamente com a Cimed, perdeu a taça para o rival mineiro.


Além de ter a melhor campanha da Superliga, o Sesi conta com alguns astros conhecidos do vôlei brasileiro, como Murilo Endres, Serginho e Sidão. O técnico é Giovane Gávio, que se consagrou conquistando títulos na seleção brasileira. Mas, segundo Vini, o segredo do grupo está no conjunto. “É impressionante a união e determinação desse time dentro e fora da quadra”, declarou.


Amanhã, Vini reencontra Marcelo Mendez, seu ex-técnico na equipe no Palma de Mallorca (Espanha), em 2007/08. Marcelo comanda o Cruzeiro. Para o jogador goiano, enfrentar o treinador não quer dizer ter vantagem para nenhum dos lados. “Eu evolui como jogador. Tenho certeza de que ele também aprendeu muito nesses últimos anos.”


Forças Armadas


O meia-de-rede goiano é sargento temporário do Exército desde 2009. Vini conseguiu entrar nas forças armadas depois de passar por um processo de seleção. Ele vai participar dos Jogos Militares, em julho, no Rio.


O jogador passou por um treinamento de 30 dias no Exército. Segundo ele, a organização, a disciplina e o respeito à hierarquia são virtudes das forças armadas que se assemelham ao esporte. No dia 9 de maio, Vini se apresenta à seleção militar para iniciar o treinamento para o Mundial. O técnico da equipe nacional é Flávio Marinho.


Vini iniciou a carreira jogando no Edan, de Aparecida de Goiânia. Além de Cimed, Sesi e Palma de Mallorca, ele também já jogou no Barcelona de Guaiaquil (Equador) e na Unisul.


Vini confessa que o desejo é encerrar a carreira jogando em uma equipe goiana e depois desenvolver um projeto para o Estado. “Sempre sonhei com um grande time goiano no vôlei. Só precisa de apoio para isso”, frisou.


Todos nós Itaberinos ficamos felizes e honrados com o nosso representante Vini, e torcemos pela vitória do SESI (SP) na Super Liga.