Operação Pedra Brilhante
28/06/2011   16:05



As operações receberam os nomes de Pedra Branca III (cidade de Itapuranga) em razão da continuação de investigações anteriores ocorridas contra os mesmos alvos, e Pedra Brilhante (cidade de Itaberaí), significado em tupi-guarani para o nome da cidade. 
 
 A investigação durou aproximadamente 04 meses e meio, sendo apreendidos durante o seu curso entorpecentes e outros objetos ilícitos, com alguns alvos presos em flagrante. 
 
 As atividades foram realizadas na cidade de Uruana, Itapuranga, Goiás, Itaberaí, Inhumas e Goiânia. 
 
 Após realizado todo o levantamento e colhidas as provas necessárias, foi representado pelas prisões preventivas dos investigados, resultando num total de 18 mandados de busca e apreensão e 31 de prisões preventiva.  
 
 Assim, na data de hoje foram deflagradas as operações policiais acima, cujos resultados foram:  
 
 - Dos 31 mandados de prisões, 26 foram cumpridos com sucesso, um encontra-se em andamento e outros quatro no foram localizados; importante salientar que um dos alvos preso chama-se Fernando, proprietário da droga apreendida pelo Denarc (uma tonelada de maconha) no último dia 27. 
 
 -Foram apreendidos os entorpecentes crack, maconha, planta de maconha, arma de fogo, cocaína, veículos, celulares, dinheiro, produtos químicos destinados ao preparo de entorpecentes (laboratório), balanças de precisão, etc. 
 
 Participaram das operações, além do Genarc de Goiás e outros policiais da 4 DRPC, agentes, delegados e escrivães de outras regionais, incluindo Genarc e GT3, num total de 104 policiais.