Jovem de Itaberaí alega ter sofrido tortura e maus-tratos em Goiânia

Apesar de o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA) vigorar há 21 anos, ainda é comum identificar casos de violência contra este grupo da sociedade, definido como prioridade absoluta pela Constituição. Em Goiânia, uma mulher é suspeita de praticar maus tratos contra uma garota de 14 anos e deve ser ouvida pela polícia na manhã desta quarta-feira (10/8).

A delegada Ana Elisa Gomes Martins, titular da Delegacia de Proteção à Criança e ao Adolescente (DPCA), disse que a adolescente morava com a mãe em Itaberaí, mas se mudou para Goiânia, há menos de dois meses, para morar com a suposta agressora, Raquel Vieira dos Santos, 30 anos, em uma casa no Bairro Goyá. Segundo a delegada, a vítima não está matriculada em nenhuma escola.
A garota afirmou à polícia que, apesar de não permanecer trancada em casa, estava cansada de trabalhar para Raquel e apanhar com cinto e fios. Com várias cicatrizes no corpo, a adolescente foi levada para o Centro de Valorização da Mulher (Cevam). Caso as agressões sejam confirmadas, a suspeita pode ser condenada de 3 a 12 anos de prisão.

Foto meramente ilustrativa