Motociclista morre após colisão causada por condutor na contramão na GO-070


26/12/2012


Um homem de 52 anos é suspeito de dirigir embriagado na contramão, provocando um acidente que resultou na morte de um motociclista de 26 anos, na GO-070, entre os municípios de Inhumas e Itauçu, na Região Metropolitana de Goiânia. A batida foi tão forte que o impacto destruiu a frente do carro e a moto foi praticamente partida ao meio. Para a polícia, o homem é suspeito de dirigir embriagado.

Segundo a polícia, o condutor do carro voltava de uma festa com a mulher e era quem diria o carro. No trecho entre os municípios de Inhumas e Itauçu ele teria invadido a pista contrária e bateu na moto que era ocupada pela vítima, que tinha 26 anos de idade. O motoqueiro morreu na hora. Depois do acidente, o casal teria tentado fugir, mas acabou detido por outros motoristas que passavam pelo local.


De acordo com os policiais, no porta-malas do carro foram encontrados vestígios de que os ocupantes seguiam viagem sob efeito do álcool. Na caixa de isopor havia latas de cerveja usadas e até uma garrafa de cachaça.

Militares do Batalhão Rodoviário de Trânsito foram acionados para prender o motorista em flagrante. No posto da polícia na GO-070 o suspeito foi submetido a uma avaliação médica que teria comprovado a embriaguez.

Negativa
Nove horas depois do acidente, o motorista suspeito de tê-lo provocado chegou à delegacia de Anápolis. Ele nega que estivesse embriagado.  “Estou são de tudo. Estou com sono, pois passamos a madrugada acordados, mas, bebida não”, afirma.

Uma agente da Polícia Rodoviária Estadual (PRE) fotografou as bebidas alcoólicas que o casal levava no porta-malas do veículo. Como não foi feito o teste do bafômetro, um exame médico atestou que o acusado estava bêbado.

“Um teste específico e que realmente comprova que ele estava realmente alcoolizado”, diz a sargento da PRE, Rosimeiri Rodrigues.    

A mulher do suspeito não será considerada suspeita de ter participado do acidente que matou o motociclista. O motorista poderá responder pelo crime de homicídio culposo, quando não há intenção de matar, mesmo estando dirigindo alcoolizado e por não ter a carteira de habilitação.

“Somando o fato de não estar habilitado, estar embriagado, ter invadido a contramão, pode ser que se entenda que tenha havido homicídio doloso, ou não. Mas isso vai demandar investigação e aí o Ministério Público vai oferecer denúncia de acordo com o entendimento”, pontua o delegado Samer Agi.


Fonte: Globo.com

Foto: Helder Barbosa 


Compartilhe: