Caso do Itaberino Honestino Guimarães será o primeiro investigado pela Comissão da Verdade da UNE
23/01/2013


Símbolo da repressão vivida por estudantes e militantes de esquerda à época da ditadura militar, o desaparecimento do goiano Honestino Guimarães será o primeiro a ser investigado pela recém-criada Comissão da Verdade da União Nacional dos Estudantes (UNE). A comissão foi lançada na última sexta-feira, 18, no Recife, onde aconteceu o 14º Conselho Nacional de Entidades de Base (Coneb).


Honestino desapareceu em 10 de outubro de 1973, quando foi preso no Rio de Janeiro, pelo Centro de Informações da Marinha (Cenimar). Ele era presidente da UNE na época em que foi levado, sendo tido como desaparecido político, em 1976. Somente em 1996, o goiano teve seu óbito oficialmente reconhecido e foi homenageado por diversas organizações estudantis em todo o Brasil, sendo a principal o Mérito Universitário com que foi laureado pela Universidade de Brasília (UnB), em 1997.


O caso do estudante Itaberino foi um dos mais marcantes, mas configura um em dezenas de ocorridos. De acordo com a UNE, pelo menos 46 estudantes teriam sido vítimas do regime militar. E em quase todos os casos, não há informações sobre onde estão ou acerca do paradeiro do corpo. Por isso, a comissão foi criada com o objetivo de esclarecer esses casos e entregar um relatório com os resultados em março de 2014.


O relatório deverá servir de auxílio para o relatório final da Comissão Nacional da Verdade (CNV), a ser entregue em maio de 2014. A comissão da UNE recebeu o apoio não só da CNV, como também da Comissão da Anistia do Ministério da Justiça e do ex-ministro dos Direitos Humanos, Paulo Vanucchi.


Fonte:JornalOpção

Compartilhe:


 



Comentários: