Tem ladrão de gado em Itaberaí
 
05/07/2013

Os furtos e roubos estão migrando das cidades para o meio rural e deixando os produtores cada vez mais preocupados. Gilson Gonçalves Costa é a mais recente vítima dos ladrões. Criador de gado holandês do mais alto pedigree, ele acaba de perder três novilhas


Gílson Gonçalves Costa compareceu à delegacia de polícia de Itaberaí para fazer o boletim de ocorrência, que é praxe para que as providências cabíveis sejam postas em prática. Ele acusa o roubo de duas novilhas há um mês e de outra matriz ocorrido na terça-feira (2). Os dois primeiros animais roubados são de 1,5 ano e o último de dois anos, já prenhe. Trata-se de um gado de origem holandesa de padrão genético superior. Para tanto, Gilson usa inseminação artificial desde 1987. "Então são animais de seis a sete gerações, filhas de sêmen americano e, portanto, de alto valor comercial". No mercado, cada cabeça não fica por menos de R$ 4 mil. 

O tenente-coronel Walter Caetano, assessor de comunicações sociais da Polícia Militar, assegurou que recomendações serão reforçadas aos policiamentos do interior objetivando a intensificação do patrulhamento no meio rural. 

MOBILIZAÇÃO

Preocupados com os constantes roubos e furtos nas fazendas, o Sindicato Rural de Itaberaí promoveu reunião com os criadores da Nata do Leite - Associação de Produtores de Leite do Município. Segundo os participantes, a preocupação aumentou com a informação do capitão Eliseu, da PM, de que o patrulhamento dispõe de sete viaturas, entre as quais uma Ranger, modelo novo, armamentos novos, coletes, entre outros equipamentos. Mas não conta com recursos humanos para a operação policial. Apenas duas viaturas estão em funcionamento e atendendo apenas a cidade. 

O comentário que corre em Itaberaí é que a Polícia Civil sabe quem rouba gado, já prendeu alguns ladrões em flagrante, "mas a Justiça solta rapidamente, desmotivando os policiais". 

Para tentar conter a ação dos ladrões no meio rural, a Faeg criou uma comissão de segurança rural há mais de dez anos. Osvaldo Guimarães, pecuarista em São Miguel do Araguaia e em Hidrolândia, foi o precursor desse trabalho, que tem contado com o apoio da Secretaria de Segurança Pública, através da Polícia Militar e da Polícia Civil. A Sociedade Goiana de Pecuária e Agricultura (SGPA) e a Faeg, preocupadas com os crescentes roubos e furtos nas propriedades rurais, criaram uma cartilha objetivando recomendações com a segurança no campo.

Fonte: DM
Foto meramente ilustrativa

 


Compartilhe:


 



Comentários: