[COLUNA] ASSIM... TÃO RÁPIDO?! Por Fábio Meira


24/12/2013

ASSIM... TÃO RÁPIDO?!


 Por: FÁBIO MEIRA (Formado em: Pedagogia, Administração, Pós-graduado em Ed. Matemática e Curso de Inclusão)

 

 Caríssimo (a) leitor (a), parece ter sido ontem que adentramos ao “dois mil e treze” e agora, restam-nos, porém, pouco tempo para o “trinta e um de dezembro”, o ano passou por todas as estações e cumpriu muito bem o seu papel. E o que você fez? O ano termina, e começa outra vez. Mas, é chegado o momento de fazermos uma reflexão. Pois, durante esse ano, com certeza, tivemos obstáculos, seguidos de dúvidas, medos e esperanças. Esse ano, como em todos os anos aprendemos muito com cada pessoa que tivemos o privilégio de conviver, foram riquíssimas aprendizagens e buscas e sempre passamos algo de útil também. Como disse o saudoso Paulo Freire: “Aprendemos ao ensinar e ensinamos ao aprender.” Nos momentos difíceis, talvez, até falhamos, pois somos humanos e isso quer dizer: somos propensos a erros. O que nos falta em muitos momentos é autenticidade, não enganar o próximo, pelo contrário, buscar em cada amigo aliados, “pois nenhum de nós é tão bom quanto todos juntos.” O importante, nesta vida, é poder colocar a cabeça no travesseiro com a consciência tranquila, pois desta vida nada se leva, é preciso, no entanto, ser justo ao tratar cada irmão, e sem distinção. E esses valores não são aprendidos nos bancos acadêmicos, ou você tem ou não tem. Conheço um casal que tiveram treze filhos, e sempre muito humildes, mas os filhos sempre recebiam muito amor. Os dois, por sua vez, tiveram de ser; brutos, rústicos e sistemáticos, uma receita que deu certo. Nenhum dos seus filhos, nunca se envolveu com coisas ilícitas, então essa família é um BEM SOCIAL. E, claro no aconchego do lar dessa família, tiveram espinhos, momentos de construção, conquistas e glórias. E n’àquela humilde residência, tiveram muito carinho. Os presente de aniversário ou de Natal que toda criança sonha em ganhar, eram trocados por um abraço e um beijo, mas não era um simples abraço e/ou um simples beijo, tinha confidência, tinha troca, tinha carisma, tinha compromisso, e muito... muito... muito amor. Acredito, sem sombra de dúvidas, essa família é um exemplo a ser seguido. E ai, em nossas vidas, somos assim: se algo não está certo e que deve ser mudado, procuramos mudar tudo, mas continuamos o mesmo, isso não adianta, devemos começar esta mudança por nós mesmos, em nosso íntimo, ali no seio familiar. Ora, quem não pode modificar a si próprio? Desenvolver uma qualidade? Despertar uma vocação adormecida? Enxugar uma lágrima? Ensaiar um sorriso? Quem é que não pode corrigir um defeito, perdoar uma ofensa? É claro que podemos. Pois, sonhamos com um mundo melhor. Então, vamos fazer deste ano que se aproxima um ano diferente, apostar na mudança, e dará certo. Tudo tem uma razão de ser, nada acontece por acaso, pois colhemos sempre o que plantamos. E, bem sabemos... Logo... logo o relógio cruzará a faixa da meia noite e já será um ANO NOVINHO, pronto para ser vivido... Como se fosse uma folha em branco para ser escrita. E ai?! O que vai escrever nele? Que cada um de nós, em 2014, possamos colher bons frutos, mas é preciso saber também que devemos lançar boas sementes. Então vamos preencher da nossa maneira, cheio de felicidades e muitas realizações... “Ah! E um FELIZ NATAL... E não se esqueça do verdadeiro aniversariante do dia 25 de dezembro – JESUS CRISTO!!!...”



Compartilhe:


 



Comentários: