Circuito do Cinema Popular começa em Itaberaí

05/05/2014


Em busca do acesso e da valorização do cinema nacional, a nona edição do Cinema Popular começa em Itaberaí, que já serviu de palco para o projeto duas vezes. A exibição acontece no dia 06 de maio, às 20h, na Praça Balduíno da Silva Caldas. Realizado pelo Icumam - Instituto de Cultura e Meio Ambiente, com patrocínio das Lojas Novo Mundo e com apoio da Lei Goyazes, da Prefeitura Municipal de Itaberaí, da Agência Municipal de Meio Ambiente e Turismo e da Subsecretaria Estadual de Educação, em oito edições o circuito itinerante de exibições já contou com a presença de mais de 180 mil pessoas.


Passando por oito municípios goianos, o projeto apresenta, com entrada franca, o filme Cine Holliúdy, longa-metragem dirigido pelo pernambucano Halder Gomes. Criado em 2004, o Cinema Popular é uma ação de democratização do acesso da produção audiovisual destinada a municípios que não têm salas de cinema. “Milhares de pessoas assistiram, pela primeira vez, a um filme na telona por meio deste projeto”, afirma a coordenadora geral, Maria Abdalla.


Além de difundir filmes brasileiros de longa-metragem, o Cinema Popular também atua na formação de público, no momento em que o País comemora o 
desempenho das produções nacionais que quebraram recordes históricos de número de lançamentos e renda de filmes. Ao todo, em todo o Brasil, chegaram às salas de cinema mais de 120 longas-metragens, um número inédito nos últimos 30 anos. E o crescimento só reflete na consolidação de um público que gosta de ver filme feito por aqui.


Quando o Cinema Popular foi lançado, há nove anos, o ritmo das produções ainda crescia a passos estreitos. De lá para cá, o Icumam se dedica a apoiar esse importante processo de democratização da diversidade cultural, valorização do audiovisual e mais do que nunca, de uma ação que leva cinema a diversas cidades e pessoas que não teriam a chance de ter determinado acesso.


De acordo com Maria Abdalla, o Cinema Popular reflete na democratização do cinema nacional e na formação de um público ávido por produções feitas no País. “Em cada cidade, recebemos o apoio necessário para a produção do circuito, que reflete a importância de levar cinema para diversas cidades do interior de Goiás. Há uma necessidade de se promover esse contato. Cinema também é educação e, como nunca, sociabilidade”, reitera.

 

UM CEARÁ ENCANTADO

Oportunidade de lazer para toda a família, a programação do Cinema Popular busca trabalhar sempre com produções nacionais que têm grande capacidade de comunicação com públicos diversos. O projeto já circulou, anteriormente, com filmes que renderam grandes bilheterias como O Palhaço, Lisbela e o Prisioneiro, O Tapete Vermelho, Menino da Porteira, entre outros.

Em 2014, o público terá acesso ao um dos filmes mais comentados do ano passado, o Cine Holliúdy, do diretor pernambucano Halder Gomes, que bateu recordes de bilheteria. O longa-metragem se passa no interior do Ceará, na década de 1970. A popularização da TV permitiu que os habitantes de uma pequena cidade desfrutassem de um bem até então desconhecido. Porém, o televisor afastou as pessoas dos cinemas.

É aí que o personagem Francisgleydisson entra em ação. Ele é o proprietário do Cine Holliúdy, um pequeno cinema da cidade que terá a difícil missão de se manter vivo como opção de entretenimento.Com muito humor e criatividade, a família tenta fazer com que o cinema continue com prestígio, mesmo com a inevitável perspectiva da chegada da tevê ao local.

Como em um liquidificador, em que tudo é misturado e triturado, o cineasta Halder Gomes serve ao público uma junção do vocabulário do autêntico cearensês, humor, referências às artes marciais, história do cinema e do Ceará. O filme é inspirado no curta-metragem Cine Holliúdy – O Artista Contra o Caba do Mal, que venceu o Edital no Ministério da Cultura de Curtas-Metragens em 2004. O curta foi visto em 80 festivais de 20 países e ganhou 42 prêmios.





Compartilhe:


 



Comentários: