Ex-prefeito de Itaberaí, Carlos Dias Mendonça morre de ataque cardíaco após ser assaltado


Um ataque cardíaco fulminante matou o ex-prefeito de Itaberaí Carlos Dias Mendonça (67), conhecido por todos na cidade como "Tico", após uma tentativa de assalto a sua residência. Carlos e a esposa, Eleni Soares Dias Mendonça, 62, moravam sozinhos. Ele surpreendeu dois ladrões que invadiram a casa e entrou em luta corporal com um deles, na noite de segunda-feira (dia 7). Minutos depois, passou mal. Apesar de socorrido prontamente no hospital local, onde foram feitas várias tentativas de reanimação, não resistiu.

A viúva de Tico contou que os dois ladrões não chegaram a levar nada da casa. "Ele estava saindo para ir ao velório de uma amiga nossa. Ouvi gritos e me levantei. Um dos homens colocou o revólver na minha cabeça. Um vizinho chamou a polícia. O ladrão exigiu que eu lhe passasse o controle remoto do portão. Ao entregar, acionei o portão. A polícia já estava chegando e começou o tiroteio."

O capitão Eliseu José Braz, da PM de Itaberaí, informou que os militares prenderam em flagrante Adenilson Alves da Silva, 23, e trocaram tiros com o outro ladrão. "Adenilson portava um revólver calibre 38 e o outro homem uma pistola 357. Ele fugiu pelo fundo da casa e abandonou a arma."

A polícia apurou que Adenilson mora em Goiânia e foi a Itaberaí com o objetivo de assaltar. "Deveria estar dormindo no albergue de Goiânia, onde cumpria pena por roubo. A escolha da residência para o roubo foi aleatória. Eles não sabiam quem morava na casa", informou o militar.

A morte inesperada de Tico chocou a cidade. Sempre pelo PMDB, Tico foi prefeito de Itaberaí por dois mandatos. administrou a cidade durante dez anos. O prefeito atual, Benedito Caetano de Araújo, que é do PSDB, diz que Tico representou mudança melhor. "Ele deu um novo impulso a Itaberaí, que sempre quis ver crescer. O Hospital Regional e três bairros foram construídos em suas gestões. Foi meu amigo pessoal por longos anos e consultor político."

O corpo do ex-prefeito foi velado em um espaço comunitário da Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania criado por ele. Os moradores dizem que Tico se interessou em resolver os problemas básicos das pessoas mais humildes. Luzia de Deus Silva, 48, diz que ele foi o único prefeito que percorreu vilas para perguntar diretamente às pessoas sobre suas necessidades. "Quando meu pai sofreu um infarto, Tico entregou a chave de seu carro particular, zero-quilômetro, para minha família levá-lo a Goiânia. Foi um administrador muito sério e um homem bom."

O gosto pela política de Tico foi passado à filha Rita de Cássia, que foi prefeita de Itaberaí, de 2000 a 2004, e é assessora da deputada federal Iris Araújo. A outra filha, Lilian, trabalha na administração da empresa de torrefação e moagem de café que Tico fundou. "Ele estava feliz, se dedicando mais à empresa, mas tinha a política no sangue, se fosse convidado, não se negaria a voltar a participar de eleições", diz a viúva.

Entre as autoridades que compareceram ao velório, estavam o prefeito de Aparecida de Goiânia e ex-governador do Estado, Maguito Vilela, o ex-presidente do Tribunal de Justiça Charife Oscar Abrão e o promotor Benedito Torres, que representou o irmão, senador Demóstenes Torres.

Luisanete Mendonça Dias, 60, irmã de Tico, diz que o ex-prefeito foi um político preocupado em resolver problemas urgentes da população. "Ele era o segundo de sete irmãos. Foi excelente filho e um irmão maravilhoso, bom pai. E preocupado com o povo.  Tinha um coração bom demais. Vi senhores de idade chorando no velório." O vereador Warley Borges (PR), primo de Tico, afirma que o ex-prefeito era respeitado por todos, independente de cor partidária. "Ele foi o grande articulador. Tratou os opositores como adversários, nunca como inimigos. Tinha foco. Asfalto, casas de saúde sempre foram suas prioridades. 90% das obras de grande porte foram construídas por ele."



Violência de fora

O advogado José Maria de Assis, 56, diz que Itaberaí sempre foi muito pacata. "A violência começou a crescer nos últimos cinco anos. Hoje o problema das drogas é crescente e preocupante. Pessoas que vêm de fora, em busca de trabalho, nem sempre encontram o que esperavam e acabam aumentando a criminalidade. Nunca esperávamos que Tico fosse vítima de violência."

Segundo Assis, o ex-prefeito estava preocupado com o aumento do crime na cidade. "Muito recentemente, conversamos sobre a violência e ele me disse que era preciso tomar uma posição urgente." Para o morador, os criminosos sabem quem tem posses e atacam. "Eu fui vítima de tentativa de latrocínio", conta. Assis levou uma facada no braço direito. A lesão limitou os movimentos dos dedos e o obriga a usar dispositivo corretor um ano e meio depois do ataque.

Outro advogado, Adão Avelino, 45, também atribui à fama que Itaberaí tem de ser cidade onde sobram empregos a atração de pessoas que cometem crimes. "Ouve-se, até em outros Estados, que em Itaberaí se ganha dinheiro. Mesmo quem encontra trabalho, pode ter esses desvios. O progresso também traz problemas."

O capitão Eliseu Braz diz que os dois homens que atacaram a casa do ex-prefeito foram motivados pela fama de prosperidade de Itaberaí. "Eles combinaram de vir à cidade para tentar uma ação. A escolha da casa, tudo indica, foi porque fica em uma rua pouco movimentada. Eles não sabiam que o casal morava só."
 

Fonte: DM Online